União Europeia investe 69 milhões de euros em bibliotecas digitais e preservação

Postado em 19/01/2010.

JC e-mail 3927, de 12 de Janeiro de 2010.

Objetivo é conduzir a pesquisa de ponta na Europa, reestruturando as bibliotecas digitais e preservando os cenários de pesquisa

Cerca de 69 milhões de euros serão investidos pelo Sétimo Programa-Quadro (FP7) para pesquisas nas áreas de bibliotecas digitais e preservação.

A União Europeia, consciente da transformação proporcionada pelos conteúdos digitais em empresas, cidadãos e indústrias criativas, incentiva as discussões sobre o atual estado das bibliotecas digitais pelo mundo, além das questões que envolvem a infra-estrutura tecnológica.

Os Programas-Quadro são o principal instrumento de financiamento em ciência e tecnologia que a União Europeia (UE) disponibiliza para seus países-membros e demais países de outros continentes, fomentando significativamente a cooperação internacional. O 7º Programa-Quadro, que entrou em vigor em 2007 e se estenderá até 2013, mobilizará cerca de 54 bilhões de euros para distribuir entre os projetos aprovados.

Com os projetos aprovados, a União Europeia pretende alcançar avanços significativos na habilidade de oferecimento de serviços de acesso padronizados para recursos digitais científicos e culturais, melhorando a sua utilização, experiência e conhecimento, além de
reforçar a capacidade de organizações para a preservação de conteúdo digital de maneira mais efetiva e barata.

A União Europeia almeja também conduzir a pesquisa de ponta na Europa, reestruturando as bibliotecas digitais e preservando os cenários de pesquisa.

As pesquisas propostas podem abranger sistemas de escala e de serviços para a preservação dos conteúdos digitais; métodos, modelos e ferramentas para o gerenciamento de memória digital, focando no desafio dos problemas de preservação quem não podem ser manejados atualmente; soluções inovadoras para agregar bibliotecas digitais multimídias para o uso colaborativo em contextos específicos e comunidades, fortalecendo o aprendizado escolar e as experiências de heranças culturais digitais; e redes de pesquisa interdisciplinares, conectando domínios tecnológicos, informação, arquivologia, ciência cognitiva e social para avançar o estado da arte em áreas de aplicação bem definidas.

A preocupação com as bibliotecas digitais também faz parte de outras iniciativas da União Europeia. Em 2009, a UE lançou o sitewww.bookshop.europa.eu – com mais de 100 mil publicações oficiais que datam desde 1952.

As publicações são de instituições da União Europeia, agências e organizações diversas e possuem download gratuito. Cerca de 12 milhões de páginas foram digitalizadas para o completo funcionamento da biblioteca digital. Em alguns títulos, o site também vende a obra em papel, além da própria versão digital gratuita. O catálogo on line da EU Bookshop contém publicações dos últimos três anos. Publicações anteriores também podem ser encontradas no arquivo.

As ações a serem apoiadas na área de bibliotecas digitais e conteúdo fazem parte de um grande edital do FP7 (FP7-ICT-2009-6), que destinará 286 milhões por meio de seis challenges (desafios) e 21 subdivisões, para pesquisas em diversas áreas, como sistemas cognitivos, interações e robótica, e tecnologias futuras e emergentes.

As propostas serão recebidas até 13 de abril. Mais informações em:

http://cordis.europa.eu/fp7/dc/index.cfm?fuseaction=UserSite.CooperationDetailsCallPage&call_id=297

(Informações do BB.Bice Brazilian Bureau)